quinta-feira, 19 de outubro de 2017

ESBOÇO!

         ESBOÇO!

Sinto o arfar do teu peito
No compasso do meu
Embalando meus carinhos
Do mesmo jeito que os teus.

As mãos afagão teu peito
Num frenesi delirante
Assediando caricias
Percorrer alucinante.

O toque  que se insinua
No corpo! Na pele nua!
Que grita  pelas caricias
Sabendo que será sua!

Harmoniosa sinfonia
Entrelaços  voluptuoso
Encaixes todos perfeitos
Amostra num breve esboço!
Marilene Azevedo
Direitos reservados pela Lei 9610.1



sexta-feira, 6 de outubro de 2017

FERA SOLTA!


                                                                     FERA SOLTA!

Como a fera que espreita
A presa  a lhe olhar
Sente o sabor  na boca
Do gosto do degustar

Sabe  que matará sua fome
Com alucinante esfomear
É fera solta pra vida
Não vai se subjugar

A carne quente..Macia
Lhe despertando  inópia
Que lhe devora entranhas
Se entrega a sua presa
Lhe dispensando suas manhas

É um rosnar eloquente
A carne vibra mais forte
Ao frenesi se entregar
Sentindo o gosto da ceifa
Na boca a lhe alimentar!
Marilene Azevedo
Direitos reservados pela Lei 9610.1
   

terça-feira, 3 de outubro de 2017

PENSAMENTOS!


                                                                    Pensamentos meus
I
Procuro em teu rosto
o gosto do teu olhar
É vejo meu fascínio
estampado no teu amar
II
Agora me vejo em ti
delineando pensamentos
desenhando os sentimentos
escrevendo nossos momentos.
III

Partilho do teu pecado
se pores em minha boca
O gosto salgado do teu corpo,
molhado e suado.
IV
A poesia sintetiza nossa alegria,
nos trás a noite como se fosse dia
e na paixão por teu coração me faz
o dia virar a noite, sem tempo, sem
horas, sem demora pra te amar.
V
Ah, os arrepios, os sussurros,
gemidos espalhados pelo ar,
o cheiro doce, teu doce cheiro,
o aroma do teu corpo impregnado
em meu corpo.
VI
Loucos desejos anseios ansiando
teus murmúrios teus lábios murmurando
em meus ouvidos palavras desconctas,
que me faz viajar em loucos e insanos
desejos.
VII
Mãos que passeiam, deslizam pelo teu
corpo, mãos que dedilham tua canção,
teus acordes a serem explorados,
tuas notas sendo tocadas as cordas da feminilidade com vigor sendo tateadas
VIII
Amor a se fazer amar, deleites a se regozijar
prazeres a se sentir, amar a se fazer gozar,
dedos sentindo o tato, línguas a sentir
o sabor da tua pele do teu suor.
IX
Pensamentos viajantes em busca de
um mesmo desejo, mais viril, mais
amante, sem barreiras, sem amarras,
sem fronteiras.

João Moura/Natal RN    

domingo, 10 de setembro de 2017


DEIXA..DEIXA!

Deixa ..Escorrer  em teu corpo
Como o suor..Feito adorno
Tomando posse ..de ti.

Deixa ..Escorrer entre os lábios
Sorver teu gosto  salgado
Para matar o pecado
Pecado habita em mim.

Deixa ..A mão percorrer labrintos
Sentir!..Os pelos a eriçar
Pedindo  para prosseguir
Sabendo-te possuir.

Deixa!  Deixa!  Eu morrer nesse delirio
Saciar ..A pele  a textura..Na ansia
Dessa demência assistida
A encontrar a guarida
Para matar-me  de amar!

Deixa ..saciar a sede
Sorver  teus delirios infindos
Balsamo das ansias..Quereres
Meu corpo em ti...Unidos
A fecundar meus  desejos
No gozo desse alvoroço
Que vivo no teu sentir

Deixando amostra o esboço
Do beijo cálido no rosto
Descanso ..No  suor enfim.
Marilene Azevedo

sábado, 19 de agosto de 2017

NOITE ESCURA

                                         

                                                                    NOITE ESCURA!

Noite escura!
Como desejos
Como beijos
Que procura.

Noite escura
Arrepia
Na volúpia
Princepia
Em desejos
Morreria!

Noite escura
Absorve
Minha pele
Meu calor
O suor
Escorre livre
A procura
Desse amor.

Noite escura!
Seja breve
Não alerte
A centelha
Que crepita
Corre solta
Quase grita.

Noite escura!
Lua nua!
Brilha .. Brilha
Ilumina
Corpo e alma
Que está
A  te entregar!
Marilene Azevedo

quarta-feira, 14 de junho de 2017

TEU CHEIRO!

                                         

                                                                   TEU CHEIRO!

Pressinto teu cheiro
Ao chegar em meu corpo
Ofegante respiras
Fazendo as fibras
Da pele tremer.

Querendo você
De toques tão firmes
Que tiras  gemidos
Balbuciando palavras
Teu nome  querido
Ao brincar  ao redor

A alma desnuda
Ao corpo reluta
Na louca entrega
Que é sua sina
Tirando a mulher
Da sua rotina

Entrega de forma tão plena
Não se julga pequena
Ali..Não existe 
Apenas união de amantes
Da vida
Queimando vontades
Consumindo volúpias
Simplesmente se amar.
Marilene Azevedo

quarta-feira, 26 de abril de 2017

LUXURIA.

  
               LÚXURIA!

Perdoe a provocação
Mas é essa reação
Que teu corpo produz

Nesse caminhar lascivo
Que grita que  preciso
Desse devorar sinuoso.

Libertino..Pensamento
Que arrasa sentimentos
Que rompe as barreiras
Do tempo
Para mergulhar no teu ser

E nessa lubricidade
Que a tua alma invade
Na louca voracidade
Entregue a cumplicidade
Na receptação consentida.

Harmonia perfeita
No deslizar do teu ventre
Alma grita!  E sente
O teu prazer se chegar!
Marilene Azevedo