MEU ORGULHO DE SER

quarta-feira, 26 de abril de 2017

LUXURIA.

  
               LÚXURIA!

Perdoe a provocação
Mas é essa reação
Que teu corpo produz

Nesse caminhar lascivo
Que grita que  preciso
Desse devorar sinuoso.

Libertino..Pensamento
Que arrasa sentimentos
Que rompe as barreiras
Do tempo
Para mergulhar no teu ser

E nessa lubricidade
Que a tua alma invade
Na louca voracidade
Entregue a cumplicidade
Na receptação consentida.

Harmonia perfeita
No deslizar do teu ventre
Alma grita!  E sente
O teu prazer se chegar!
Marilene Azevedo                        

quarta-feira, 29 de março de 2017

SORTILÉGIO.

                               
SORTILÉGIOS!

Sortilégios tens nas mãos
Ultrapassa infinito
Desnuda entre gemidos
A posse do que é seu.

Volupia a emanar
Caricias a desejar
As mãos a te procurar.

Mágia ..Feitiçaria!
O encanto que carregas
Fazes a quebrar regras
Sorver esse teu querer.

Boca sequiosa ..Desejos
Beijando feito solfejos
Tirando o sons labial

E a fome tão desigual
Que se desprende e comanda
Vem debruçar na cama
Para um derradeiro ..Final

O Sortilégio..Existe
O sortilégio..persiste
Entre  você e meu Eu.
Marilene Azevedo

domingo, 8 de janeiro de 2017

QUASE UMA ORAÇÃO.

ORAÇÃO!

Gestos delicados
Ousados
Como beijo
Que roubado
Num roçar
Enamorado

Ousadia 
Não devia
Sem conter
leve pousou

E a mão 
Estremecia
Com cuidado
Acariciou

Mergulhou
Embriagada
Nessa alma
Adorada
E sorveu
O mel da fonte
Que a sede
Saciou.

transbordava
De desejos
Que cobria
O ser amado
De uma forma
Adorado.

Frenesi
Que me perdoe
Por amar  feito canção
te envolver em frases 
Mansas
Como ritos de oração!
Marilene Azevedo


 

terça-feira, 25 de outubro de 2016

PALAVREADO.



     PALAVREADO!

O palavreado desconexo
Não tem nexo
pensa em sexo
É vulgar!

Tal  e qual
Somos nós
Quem de vós!
tem a coragem
de dizer..Não é verdade!
Não pra mim..Mas para si?

Aparências ..Reticências
Para falar ..Não!  Para agir
Deixa ir!

Quando sentir necessidade
Vulgarmente com maldade
Feito reptil que rasteja
vem buscar a sua presa
Saciar a fome ..Em ti!

Com palavras  desconexas
Balbuciadas  ao ouvido
Que escutada sem sentido
Só a carne lhe entende
Prende  um grito!  Sai gemido
E a alma se surpreende.

A resposta o corpo dá
Basta apenas escutar
Pode não querer falar
Mas um simples palvreado
No teu gesto ..No tocar
E o corpo a demonstrar!
Marilene azevedo

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

ELOQUENTE MENTE!


                                                          ELOQUENTE  MENTE!


Ah!  Essa mente calada
Sissuda sem dizer nada
É tão eloquente voraz.

Desliza pelas madrugadas
Buscando alimento da alma
Encontra perdido no limbo
Apenas esperando amar.

O frenesi que arrebata
Num frenético acelerar
O ar ..A respiração
O odor  ..O cheiro a  razão
Perdidos na imensidão

A leveza do tocar
O corpo a arrepiar
mergulhando num universo
Naufragando em  céus abertos
Com a alma a flutuar

É o corpo em desalinho
É o gemer baixinho
Sussurros ..Beijos carinhos
Perdidos.. Não irá retornar.

É a mente calada quieta
Que saí sem olhar para trás
É o corpo carregando a alma
Num eclodir quero mais!
Marilene Azevedo


     

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

LABAREDA.

LABAREDA.

Chegas aquece
Meu corpo
Respondendo
Chamado

Calado
Acende
Reflexo
Amplexo
Labaredas
Queimando

Amando
Caricias
Infindas
Arrepiando
Sentir

Querendo
Seu corpo
Ardendo
As chamas
A lhe consumir

Não deixe!
Dos braços sair.
Desliza
Volúpias na pele
Explode 
Gemidos..Pedir!

Extase que a alma
Agradece
A mão que acaricia
Seu corpo
Descansa
Cálido abandono.

O arfar 
Do torso
Que abriga
Suspira
Já saciado
O beijo repousa
Sigilos
Estalos em doce
Estribilho.
Marilene Azevedo