domingo, 14 de janeiro de 2018

A DOR!

                                                                            A dor.

A dor,tão bela,
Silenciosa, inquietante, 
Tão sedutora,e tão simples. 
Tão poética. 
Dor é mentira,
É a raiva que tira o sossego,
A raiva que quando negada,
É poética. 
Dor, também é amor.
É traição, 
Dor é rancor,
E também atração. 
Causar dor,
É de longe mais simples que fazer sorrir.
A dor te toma a lucidez,
E a mágoa, passa a lhe cobrir.
A dor é excitante, degradante,
É envolvente, doente ;
É o vazio da alma,que anseia por um ser.
É o pequeno desejo,de algo,ter...
É a cegueira da mente,clamando por ver...

ROBSON FREITAS!

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

CONFUSO QUERER!

                                             


CONFUSO QUERER!

Como é confuso  querer
Sentir o que a alma sente
A carne deseja e quer
E a alma se repreende

Sei que irei mergulhar no prazer
Afogar-me em caricias
Debruçar  no santuario
Saciar-me  com malícia

Como irei distinguir
A alma ..O corpo a carne
Se tudo no mesmo invade
Querendo se devorar.

Inebriante prazer
Da tua boca  desejo
Mordiscando  pra te ter
Quero  te sorver aos poucos
Com carícias ..Te sorver!

E nessa entrega devoro
Na mesa dos meus prazeres
E deixo a te ofertar
Todos os meus quereres
Deixa para mim
Eu suplico
O teu suor e teu gozo
Presa contigo ..Fico!
Marilene Azevedo

Dieito preservados pela lei 9610/1

sábado, 16 de dezembro de 2017

O SEU DEDILHAR!

                                       

                                                                O SEU DEDILHAR!

Dedilha meu corpo
Com tua presteza
De quem sabe muito
Acordes tirar.

A leveza da mão
Desliza suave
Com notas sublimes
Me faz delirar

Acordes..Mais fortes
Com som mais preciso
Acende suspiros
Derrama em gemidos

Do corpo entregue
Como cordas  sonoras
Pra vc dedilhar

Me  seu prazer
A pele ouriçada
Por suas mãos
Ser tocada
Responda  em sussurros
Não  me deixe parar

E a boca ao sentir
O toque.. A firmeza
Se entregue a destreza
Suave e forte
Tirando acordes
De um corpo inerte
Que apenas pede
Me faça soar!

Ouvindo gemidos
Tirados ..Certeiros
Treinados..Ligeiros
Em extase pleno
Do seu..Dedilhar
Me faça sonhar!
Marilene Azevedo
Direitos preservados pla lei 9610/1

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

VOCÊ!

                                                    Robson Freitas
8 h 
 
Existem momentos que o silêncio é o melhor argumento, existem palavras que não precisam ser ditas,mas sentidas,tipo o amor,a dor da alma,o sentimento que não pode florescer,a vida sonhada,a vida desejada, o sonho alcançado. Mas sou humano quase o tempo todo,quase sempre,quase vida. Quase a nossa despedida que não deseja ser mantida,na minha simplicidade espero apenas a felicidade,apenas um momento me serve,mas que não seja breve,pois amor é eterno enquanto almejado,amor tão esperado,apenas amor retribuído, apenas você...

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

                                             

BEIJO!

Gosto do beijo gostoso
Apressado manhoso
De um jeito carinhoso
Que diz  de forma lasciva
Me deixe te amar

Quero esse corpo moreno
Suado ..Sereno
Entregue as manhas
De quem sabe se dar

Que fique todas intenções
Contidas  no corpo
Mergulhadas no plasma
Correndo tão soltas
Não dá para parar.

Está bailando nos lábios
Frases desconexas
São velhas promessas
Renascendo  dengosa
Na boca molhada
Jurando que agora
Irá lhe amar!
Marilene Azevedo

Direitos preservados pela lei9610.1

sábado, 25 de novembro de 2017

                                           
   FEBRE!

A luta!  
Pecrusta
O âmago
Das entranhas

Onde habita
O desejo
E essa febre
Tamanha

Da onde
Vem teu poder?
Que o ventre
Responde
Aceso?

Vem do beijo?
Do teu toque?
Ou simplesmente
Desejo?

Não a razão
Que controle
O que o corpo
Responde

A  febre!
O arfar!
Suor
Carne
E tudo mais
Se consome!
Marilene Azevedo
Direitos preservados pela lei 9610.1

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

A DIFERENÇA!

                                                  
                                                                             


 A DIFERENÇA!

 Porque sinto dessa maneira?
Como se fosse oração
Teu corpo  imagem da imaginação
É a forma..O jeito!   O respeito

Com gestos ..Sem profanar
De quem demonstra carinho
Carícias a desejar

A cada toque ..O beijo
Sugando o seu suor
A cada frenesi da alma
De forma  candenciada
Que a harmonia dos gestos
Se perdem por entre estradas

Não  há limites   ..É entrega
A descobrir-se de fato
Que a beleza tão plena
Não pode chamar-se ..Pecado

Não é roubo..É arroubo
Não é pecado..É amado
É a entrega de dois seres
Que não podem ser julgados!
Marilene Azevedo
Direitos preservados ela 9610.1